domingo, 29 de janeiro de 2017

Tô pensando se é o momento de entrar nos investimentos no exterior

Fala galera da Finansfera!



Calma galera, estou decidido a colocar parte do patrimônio no exterior sim, como falei aqui e aqui, e ainda não mudei de ideia. O que estou me referindo é o atual momento, digo esta semana, este mês, este bimestre.

Mr Trump assumiu a presidência dos EUA e já canetou várias polêmicas que não eram novidades. O mercado financeiro americano deu uma disparada boa este ano e foi quando comecei a me questionar.

Mesmo que eu vá começando aos poucos por ETF na Irlanda, ainda sim fico observando o mercado de ações pois pretendo também diversificar com algumas ações.

Mas o que me chamou a atenção essa semana é que tá tudo esticado. O mercado está em uma euforia danada e os preços tem subido bastante nas últimas semanas.

Reparem os preços de algumas ações e ETF nos últimos 6 meses.









É claro que sempre existe algumas ações que não seguiram a tendência mas temos que estudar o caso para saber o que aconteceu, como é o caso da J&J.



Mesmo com as máximas de que "preço não importa", "ações sempre vão dar lucro a longo prazo" e mais algumas outras, eu sempre procuro analisar o momento em que o mercado se encontra para realizar uma compra.

Não me sinto confortável em comprar algo quase no teto histórico só porque sei que no longo prazo vai me dar lucro. Se posso comprar um pouco melhor, porque não fazer?

Aí vem a pergunta que a maioria faz. Como você faz pra saber se o preço vai cair? E eu respondo: Não sei! A única coisa que faço para ficar mais confortável é dar uma analisada nos gráficos e ver como anda o IFR, volume, suporte, resistência e mais algumas coisinhas.

No caso da J&J podemos perceber que o volume aumentou enquanto o preço da ação diminuía.

Mas se vou comprar ETF na Irlanda, por que me preocupar com o mercado financeiro agora? Simples, porque alguns ETF replicam os índices dos mercados de ações e se tivermos uma realização no DJIA, provavelmente vai afetar o ETF.

Bom, de qualquer maneira está tudo engatilhado para começar os investimentos no exterior. A estratégia provavelmente será a de ir comprando aos poucos e vendo como o mercado vai se comportar nos próximos 6 meses.

O que acham?

Abraço a todos!




sábado, 28 de janeiro de 2017

Novidade no blog, página Carteira

Fala galera da Finansfera!




Já tinha um tempo que eu queria aprender a colocar aquele menu lá em cima no blog mas só agora me aventurei a fazer testes. Acho que deu certo, depois me digam.

Comecei o menu incluindo a página Carteira.

Eu disse que não iria mais postar a carteira porque dava muito trabalho e eu atrasava os posts mas mudei de ideia novamente e resolvi colocar uma página dedicada só para isso e assim continuo divulgando a carteira sem atrasar os fechamentos, uma vez que posso fazer em momentos distintos.

A página ainda não contém exatamente tudo detalhado do que tenho, apenas detalhei ações e FII além da tabela aporte mensal. 

Como havia falado aqui, saber como seu dinheiro está distribuído é importante então estou colocando os gráficos por tipo de investimento, indexador e posição em renda fixa e renda variável. Assim dá pra ter uma noção de como sua carteira está. A minha está arrojada kkkkk.

Passem lá para conferir e comentem o que acharam.

Abraço a todos!


segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Investimentos OffShore, decidido! Início em ETF na Irlanda

Fala galera da Finansfera!

Após muitos ler muitos blogs, sites, leis, notícias, lâminas, boatos e muito mais, me decidi por começar os meus investimentos no exterior com alguns ETF domiciliados na Irlanda.

Agradeço a ajuda do amigo Frugal e Simples que também me esclareceu muita coisa, valeu Frugal!

Para quem quiser entender um pouco mais sobre investimentos no exterior e principalmente sobre minha estratégia é só acompanhar os próximos post pois pretendo relatar passo a passo do que estou fazendo aqui.

Por que tomei a decisão de ETF na Irlanda?


Bom, em primeiro lugar vamos ao meu objetivo que é acumular patrimônio durante uns 13 a 15 anos até a aposentadoria e a partir daí, viver com rendimentos ou vendendo alguma coisa (ações, FII, ETF....) para ter q renda necessária para viver bem.

Não estou preocupado em ter meu patrimônio em uma PG, minha intenção é ter renda extra na aposentadoria uma vez que terei minha aposentadoria pelo trabalho logo, caso eu precise vender algo, não terei problemas mas o tanto que acumularei até lá será suficiente para isso.

Já estou confortável com minha carteira no Brasil e sinceramente acho que investir no Brasil já não traz tanta novidades. Você compra alguns bons CDB atrelado ao IPCA, CDI, alguns FII, algumas ações com bons fundamentos e analisa elas semestralmente ou anualmente, olha uma ou outra debênture ou CRI, LCI e LCA sem esquecer do glorioso TD e pronto! Já está formada sua carteira diversificada e a partir daí basta ir aumentando posição conforme o mercado muda.

Partindo do princípio que já não pretendo inventar muita coisa no Brasil, de que aporto regularmente, que minha aposentadoria está prevista para uns 13 a 15 anos (tenho algumas variantes ainda), resolvi começar a pensar em proteger parte do patrimônio com investimentos offshore.

Para quem quiser entender um pouco sobre isso leia o livro do Graham, O Investidor Inteligente. A ideia de investir no exterior vem ao encontro do que ele indica no livro.

Agora sim, o motivo de ser ETF na Irlanda. 


Escolhi ETF pois foi exatamente o que estudei primeiro e por não precisar ficar acompanhando. Seguindo a filosofia de olhar os investimentos somente de tempos e tempos e aproveitar para fazer coisas que gosta, resolvi começar com ETF que acumulam e não pagam dividendos. Só pra deixar claro, terei ações na minha carteira do exterior também.

Os ETF que não pagam dividendos pegam o que seria pago e reinvestem fazendo assim o trabalho de reinvestir crescendo o bolo. Já os que pagam você teria que se preocupar em reinvestir e ter o trabalho de fazer isso por conta própria. Tem que inclusive pesquisar onde está comprando pois há países que cobram sobre dividendos e outros que cobram até mesmo dos que acumulam, já a Irlanda não cobra.

Na Irlanda não há cobrança sobre os dividendos e você só paga imposto no Brasil sobre o ganho de capital que exceder a R$ 35.000,00 mensais. É aqui que entra a melhor parte da história. Quanto você precisa para viver na aposentadoria considerando que já tem imóvel próprio? 10k? 20k? Se você acumular um bom capital em ETF ou mesmo ações no exterior, quando for para a aposentadoria poderá vender até 35 mil reais com isenção de imposto. Na boa, quantos porcentos da população precisa de mais de 35k por mês para viver? Parece que fica difícil acumular bom patrimônio né mas lembre-se que quanto mais cedo começar, melhor e dá sim para juntar um bom patrimônio com disciplina.

Existe muita coisa sobre ETF que ainda vou comentar nos posts a seguir. Por enquanto estou escrevendo sobre a decisão do onde investir no exterior. 

Minha primeira compra será em fevereiro uma vez que estava esperando o Trump assumir para ver como seria a euforia das especulações e também para dar mais tempo estudando.

Vou relatar aqui como fiz tudo. Já tem o post de como abrir conta na corretora no exterior e os motivos de ter escolhido a IB, caso não tenha lido, veja aqui. 

Falarei ainda sobre as transferencias de valores, sobre a compra em sí e sobre a composição dos ativos que eu estou escolhendo. Não esqueci dos outros tópicos prometido neste post.

Caso tenha alguma dúvida compartilhe aqui nos comentários. Estou longe de saber responder tudo mas as dúvidas estimulam os estudos e a intenção é relatar toda a trajetória aqui e compartilhar, com quem quiser, como realizar investimentos offshore.

Abraço a todos!















quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Metas 2016 X 2017

Fala galera da Finansfera!

Janeiro já passou da metade, o ano está voando kkkkk.

Antes que janeiro termine, vou fazer um breve balanço sobre as metas de 2016 e traças as metas para 2017. Faço este balanço no blog pois com certeza esqueceria se somente anotasse.

Em 2016 tinha feito um post que não está mais ativo mas vou replicá-lo aqui seguido dos comentários se consegui atingir ou não.

Fala galera!

Demorei um pouco mas tracei as metas para 2016. Como todos da blogosfera, também tracei uma estratégia um pouco ousada para cumprir neste ano. Ao meu ver, as metas tem que ser plausíveis, no entanto não podem ser fáceis demais de serem atingidas, elas têm que requerer um pouco de sacrifício e dedicação. Aprendi que para atingir um objetivo grande, primeiro é preciso traçar vários objetivos pequenos e assim ir conquistando um a um até conseguir conquistar o maior de todos. Claro que ajustes sempre são feitos ao longo do caminho mas o planejamento deve ser seguido ao máximo.

Minhas metas são um pouco ousadas considerando que a qualidade de vida está em primeiro lugar para mim. Não esbanjo por aí gastando e ostentando as coisas, procuro sempre viver bem, estar em bons lugares, viajar, comer bem, tudo isso dentro da normalidade com preços acessíveis. Por exemplo, gosto de viajar e tenho planos para este ano, no entanto não compro passagem cara demais, aproveito milhagens, procuro uma época boa que não seja de alta temporada e uma estadia confortável e segura com bom preço que sempre achamos. Sim, são vários fatores para análise mas acredite, pode-se viajar bem gastando pouco. Qualquer hora dessas faço um post falando disso. Não fiz o post até hoje! Mas viajei bastante!

Bom, e as metas? Ah sim, vamos a elas:

Em ações: 

Pretendo aumentar posição gradativamente. Por enquanto estou somente com CMIG4. Pretendo aumentar posição nela, incluir um banco e um varejo. A ideia é manter entre 13 a 15% da carteira em ações que paguem bons dividendos. Por enquanto não quero nada com siderúrgicas nem petróleo.
Aumento previsto para 2016 de  250% em relação ao fechamento de 2015.
 Pois é pessoal, no quesito ações eu superei a meta até demais. Aumentei a posição com Grendene, Ambev, Cielo, BB Seguridade e Itaú elevando assim o percentual da carteira em 1242,67%

Em Tesouro Direto:

Essa é a maior composição da carteira, algo em torno de 60 a 70%. Para este ano pretendo aumentar posição em títulos com vencimento entre 2019 a 2024. Estava comprando com pagamento de cupom semestral mas desisti, como não preciso deste dinheiro e se caso precisar posso tirar do SELIC, resolvi que só vou comprar os IPCA+ e SELIC,  os prefixados estão mais ou menos né, como não sabemos a inflação para o ano, talvez não seja bom ficar comprando este título. Tenho prefixado a 12,20% e a 13,30% quando a inflação estava abaixo de 8%, sei lá e agora.... quase não há ganho real.
Aumento previsto para 2016 de  60% em relação ao fechamento de 2015.
Já no TD a coisa foi bem diferente. Eu pretendia aumentar bem a posição principalmente comprando para 2019 e 2024 mas mudei radicalmente de ideia e como não precisarei deste dinheiro, resolvi comprar somente o 2035 sem pagamento de cupom. 
Além de ter decidido isto, ainda coloquei uma margem de mínimo de IPCA + 6% para a compra de TD 2035. Consegui efetuar umas compras, 7,82%, 7,1% 6,31% e como tive outras oportunidades então não atingi a meta ficando apenas 46,5% no ano. 

Em FII

Estes fundos que foram novidades no fim do ano de 2015. Comecei a estudar eles e ví uma boa oportunidade de ter renda passiva mensalmente. Vejo que muitos investidores tem uma boa carteira sem se preocupar com o preço da ação pois o importante é o valor mensal recebido. Considerando que meus investimentos são com a finalidade de complementar renda mensal em aposentadoria, resolvi iniciar neste ramo e deve ser onde vou dar uma boa "aportada" ao longo do ano. Nos FII vou reservar de 15 a 25% da carteira. Já comprei alguma coisa no fim de 2015 e início de 2016, agora é manter o ritmo.
Aumento previsto para 2016 de  150% em relação ao fechamento de 2015.
Se TD ficou pra baixo, FII realmente eu investi. Tinha uma ideia de ficar recebendo renda passiva mensalmente mas após alguns meses ví que acabo deixando de ganhar investindo em outra coisa mas como meu foco também é a diversificação, deixei rolar e comprei um pouco mais do que os 150% previstos e fechei o ano com 652,87% .

Na poupança 

Manterei o valor de 2,5 a 3k para emergências super emergenciais que não tem como esperar tirar do SELIC. 
Estudo entrada em alguma LCI ou LCA ou até mesmo CDB. Ainda em estudos somente pela diversificação. Não estou preocupado em pegar o máximo de rendimento em um único investimento, prefiro uma média em todos e diversificar.
Pretendo fechar o ano com renda passiva mensal de 400 reais caindo na conta da corretora todo mês.  
Em relação à poupança eu diminuí este valor para 1k. Ví que nunca uso e se precisar, antes de tirar do SELIC, tem os rendimentos mensais que recebo de FII e cartão de crédito, então acho bobagem deixar muito dinheiro na poupança. Aos poucos fui transferindo a poupança pelos rendimentos dos FII, pois consegui bater a meta dos 400,00 mensais. 

Além do que acabei de comentar em cada ativo, em 2016 iniciei posição em LCI, CDB, Debêntures e CRI. Já tenho valor considerável em CDB distribuídos em CDI e IPCA pois o ano foi bom e somente agora que inflação tá caindo e CDI também.

Por enquanto é isso aí! Ano que vem a gente pega este post e vê o que foi concretizado.

Forte abraço!

Fechamento 2016
Tesouro Direto
46,50%
Ações
1.242,67%
FII
652,87%
Total
524,37%

Metas para 2017 

Deu pra perceber que 2016 foi excelente! Agora em 2017 vou começar com os investimentos no exterior e aumentar pouco as outras posições. As metas não serão tão ousadas.

Ações

Espero aumentar posição em 30% incluindo na carteira uma mineradora e mais alguma coisas que ainda não decidi, precisarei fazer análise e aumentando o percentual em ITUB3. 

TD

Tendo IPCA 2035 acima de 6% eu começo a olhar melhor, passando de 6,2% eu compro e vou seguindo assim durante o ano então a meta será de apenas 25% do que tenho hoje.

FII

Por aqui fico aguardando oportunidades e a meta é aumentar em 40%. Tudo vai depender de como os outros tipos de investimentos vão andar pois eu sempre aporto onde tá mais descontado.

Debêntures e CRI

Gostei dessa modalidade mas entrei com percentual pequeno pois não tem FGC mas a meta pra este ano será de 50%.

CDB

Aportei bem em CDB então só aportarei mais se tiver ótimas oportunidades. Meta de 20%.

LCI

O que tenho de LCI é temporário, comprei pouco e com prazo para 180 dias. Lembra a história de comprar outro carro? Então, provavelmente ela morrerá mas talvez não precise e reinvista, mesmo assim a meta será aumentar em 100%.

Poupança

Valor fixo de 1k em dezembro 2017. Eu chego a 1k e uso, aí começo a colocar lá de novo e fico fazendo isto mas no fim do ano terei que ter 1k.

Investimento internacional

Como venho comentando há alguns meses, este ano começarei os investimentos por lá. Meta de comprar principalmente ETF e algumas ações e quem sabe um ou outro REIT, tudo para deixar para a aposentadoria. Vou comentando mais sobre isso ao longo do ano, acompanham a evolução.

Bom pessoal, ficou um pouco longo mas foi necessário.

Por enquanto é isso.

Abraço a todos!






sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Fechamento de Dezembro e do ano de 2016

Fala galera da Finansfera!

As férias acabaram e como não poderia deixar de ser, fiquei distante do mundo das finanças nesse período aproveitando praia, família e namorada mas agora é hora de voltar aos trabalhos.

Não vou ficar aqui fazendo retrospectiva de 2016 mencionando cada coisa que aconteceu pois quem acompanha sabe que relato as principais mudanças e notícias aqui no blog mensalmente.

Falarei do fechamento de dezembro de 2016 e na sequência sobre o ano de 2016.

Vamos direto ao assunto!

Ações

Seguindo minha estratégia de comprar o que está mais descontado na minha carteira e após as quedas da SELIC estou comprando mais ações. Vendi KLBN4 com lucro de 4,9% que era só pra fazer swing e comprei ABEV, ITUB3, CIEL e BBSE. Ainda tenho que estudar mais alguns setores para adicionar à minha carteira, pretendo fazer isto ao longo de 2017.

Se não fosse o aporte eu fecharia no vermelho. Relembrando, eu considero os aportes na porcentagem pois eles estarão lá no mês seguinte aumentando a carteira e estou com preguiça de fazer sistema de cotas kkkkk. Depois faço post melhor explicando.

Tesouro Direto

Fazia tempo que não aportava aqui mas as taxas deram uma boa aumentada e consegui comprar um pouco de IPCA 2035 a 6,31. TD na minha carteira está bem defasado e se em 2017 as taxas estiverem no mínimo que eu desejo, aportarei mais.

Poupança

Já dei uma aumentada considerável e já estou olhando torto pra ela, já já vou retirar e investir talvez em FII.

FII

Rendeu bem pouquinho mas o pagamento dos alugueis estão firme e forte! Como as ações tiveram uma boa queda então aportei nelas e deixei os FII um pouco de lado, agora a balança tá mais pesada pra ações e em 2017 tenho que reequilibrar com os FII, desde que estejam em preços que julgo melhor para compra.

CDB

Os 3 que comprei estão indo muito bem, no entanto com a baixa da SELIC o CDI tende a diminuir junto, diminuindo todo o rendimento e foi por este motivo que aportei em ações.
Mesmo que o CDI caia ainda assim tenho uma boa rentabilidade pois tenho dois CDB sendo um de 121% e outro 118% do CDI e o terceiro é IPCA +7,5. 

Não me preocupo com a queda da SELIC e do CDI, como tenho uma boa diversificação então em todas as pontas eu tenho reajustes. Quer saber mesmo o que penso? Não acredito que ficaremos 3 anos com os índices caindo a ponto de virar mal investimento, acho que sendo cíclico, daqui a pouco sobe um pouco.

Debêntures e CRI


Continuo com os mesmo mas como minha carteira aumentou consideravelmente, eles estão começando a ficar defasados em porcentagem. Para 2017 vou ficar de olho em algo bom nesta categoria.


LCI

Este mês entrou uma LCI. Este dinheiro eu não ia computar mas mudei de ideia e digo porquê, vendi o carro e aplique o dinheiro e pretendo comprar outro em junho então já comecei a realizar alguns aportes visando receber dinheiro em junho para a compra do carro e retirar o mínimo possível das aplicações. Mas como a gente se estica para evitar mexer nos investimentos, vou manter tudo aqui e depois faço o balanço do que precisar.


 Seguem as % de dezembro em relação à novembro: 


dezembro
Aporte
-42,5%
Poupança
21,43%
Tesouro Direto
32%
Ações
35,59%
FII
0,30%
LCI
0,56%
LCA

CDB
1,26%
Total
17,50%


Eu sempre colocava o balanço dos FII aqui mas em 2017 não colocarei pois dá muito trabalho e isso até atrasando minhas postagens. Eventualmente colocarei a tabela com os rendimentos.


Fechamento do ano de 2016

O ano de 2016 foi excelente para mim. Além de ter quintuplicado meu dinheiro ainda viajei bastante e realizei várias coisas que planejava.

Sobre ter quintuplicado o dinheiro entra no cômputo o dinheiro do carro que vendi e apliquei também. Quando for comprar outro (previsão para junho 2017) retirarei o necessário e farei o balanço informando na planilha.

O ano começou com os aportes em FII após os rumores da taxação sobre os rendimentos mensais e segui com aporte em renda fixa mas especificamente CDB atrelados ao CDI e IPCA e no fim, como tudo é cíclico e a gente aporta onde tá mais descontado, os aportes foram para as ações.

Fiquei muito contente pois ultrapassei algumas metas apesar de não ter cumprido outras. Farei um post sobre o que eu consegui realizar em 2016 que já tinha planejado e comentado e farei as projeções para 2017.

No balanço do fechamento anual não considerei na tabela a porcentagem das LCI, CDB e Debêntures pois estes entraram na carteira no fim do ano, sendo assim somente considerei o que já tinha em janeiro de 2016 mas no cômputo final considera o valor total da carteira em dezembro sobre janeiro.

Seguem os dados:

Fechamento 2016
Tesouro Direto
46,50%
Ações
1.242,67%
FII
652,87%
Total
524,37%

Como podemos ver, um belo ano de aportes!

Por enquanto é isso galera! Daqui a pouco eu volto com a continuação dos investimentos no exterior que devo realizar o primeiro aporte no fim de janeiro ou inicio de fevereiro e com as projeções para 2017.

Abraço a todos!